quarta-feira, 25 de março de 2020

A DOENÇA VIRAL E OS PODERES DO ESTADO


Por: Adilson Teixeira de Godoy


Vamos falar sobre o Brasil.

Hoje o Brasil está dividido politicamente e não adianta "tapar o sol com a peneira".
As forças de direita e esquerda estão se contrapondo visível e claramente. De nada vai adiantar quando as pessoas não controlarem o excessivo grau emocional e deixarem de bater suas panelas ou aplaudirem nas suas janelas e decidirem sair para as ruas para defenderem as suas posições políticas absurdas ou não, com razão ou sem razão. 

Ninguém gosta de clausura e muito menos de sérias dificuldades para manterem suas vidas e famílias, sejam pobres ou ricos. Todos precisam se alimentar e manter sua higiene pessoal em dia. 

A constituição brasileira escrita em 1988 para garantir direitos e obrigações, deu ao povo brasileiro, instrumentos legais de defesa e proteção. Quebrar parâmetros legais levando a organização social ao caos e desequilíbrio não ajuda em nada. 

Difícil ou não, é preciso manter a calma e procurar trabalhar dentro de casa (se possível) através dos recursos da informática, procurando descobrir meios para a sua atividade profissional e para a realização dos seus projetos de trabalho. 

É dever do cidadão responsável não promover a desordem e o desequilíbrio social gerando o caos consciente, porque quando o "circo" pegar fogo, terá que admitir que ajudou a construir o caos.

O Estado deveria agir pacificamente. As Forças Armadas com seus aviões, caminhões e mais de 320 mil militares na ativa, podem evitar a desordem, ajudando a transportar alimentos para os caminhoneiros que estão abastecendo as prateleiras dos supermercados ainda abertos. Eles também precisam de condições para realizarem o trabalho de transporte nas estradas mais isoladas do país.

Sabemos que as linhas férreas foram praticamente aniquiladas por posições políticas que acabaram com milhares de quilômetros de transportes não poluentes. Essa mesma via férrea poderia ser urgentemente ressuscitada. 

Os poderes políticos, independentemente das ideologias, devem aprovar medidas urgentes sem revanchismo, que possam amenizar os custos financeiros e humanos.

Como sugestão, os bancos precisam garantir recursos com juros mínimos para que os empresários possam depositar as suas folhas de pagamento devidamente registradas, com o objetivo de completar os valores para pagarem seus funcionários que estão na inatividade obrigatória. O Estado tem força constitucional para isso.

Milhares de "sindicatos" que possuem muito dinheiro em caixa, tem fundos suficientes para solidariamente auxiliar seus afiliados afastados com cestas básicas durante poucos meses, mas infelizmente ainda não se manifestaram.

Caso as medidas urgentes não sejam tomadas a tempo, veremos os caminhões do exército saindo de suas garagens para transportar os mortos, como estamos vendo na Itália.

Ajudem a construir uma nova realidade, porque esse é o momento em que teremos que aprender a conviver em épocas de crise. A arma é biológica e violenta. Se foi do morcego, de alguma bactéria ou de laboratórios inimigos, agora não adianta nada elucubrar.

Sigam os aconselhamentos oficiais, principalmente a Organização Mundial de Saúde, pois aqui no Brasil, ainda está em tempo.

Para quem acredita, DEUS PODE AJUDAR.

Somente a corrente energética positiva, a vibração do amor e a paciente sabedoria da espera solidária, agirão em benefício do todo. Os vírus de um modo geral, atacam os seres com imunidade baixa, com sistemas imunológicos vulneráveis e normalmente as pessoas com depressão, pressão alta, diabetes, possuem entre os seus diagnósticos disfunções emocionais que provocam essas reações e por consequência a baixa imunidade que atrai o vírus. 

Cada indivíduo pode potencializar a imunidade do planeta, quando ressoa com outros em consonância positiva. O poder da união em pensamento produz um CAMPO DE AÇÃO MAGNÉTICO, atraindo força e mais energia positiva, integrando as pessoas ao SISTEMA CRÍSTICO DE EXPANSÃO. Jesus disse: "ONDE HOUVEREM 2 OU 3 REUNIDOS EM MEU NOME, ALI ESTOU NO MEIO DELES". (Mateus 18.20) - SEJA UM DELES.