quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

FUNDAMENTOS E PRINCÍPIOS CRISTICIÍSTAS

A verdade divina se sustenta em fundamentos e princípios.

Sem esses dois ícones do conhecimento, não há como o ser humano estabelecer parâmetros para poder ativar todas as correntes energéticas interiores de ação, possibilitando o crescimento interior de cada criatura.

O desejo crescente de toda comunidade espiritualista é que cada membro se destaque pela ação pessoal, demonstrando interesse em buscar respostas para suas questões.

As respostas são componentes importantes na consolidação da fé de cada criatura.

Quanto mais o ser humano encontrar respostas que alimentem a sua convicção, mais o seu potencial energético de fé, energizará a sua mente, e a sua consciência se revelará a si mesmo, acrescentando pontos ao seu desenvolvimento espiritual.

O conhecimento não representa afastamento dos princípios que norteiam a fé. É muito importante buscar e trabalhar pelo conhecimento.

O conhecimento afasta o ser humano da exploração religiosa e o protege contra ensinamentos que não tem como se sustentar à primeira inquirição.

Um ser convicto da sua fé conseguida com base na reflexão, no estudo, na meditação dos postulados divinos, está apto a representar o seu papel dentro do cenário social e espiritual.

Com o espírito esclarecido, o ser torna-se mais útil ao processo, mais intenso e seguro em suas posições, e muito mais amplo na sua visão de vida com maior probabilidade de realizar seus objetivos no campo da fé e da realização profissional.

Escolher e selecionar o caminho espiritual a ser seguido é de extrema importância para o sucesso de qualquer criatura.

Uma criatura reconciliada com Deus, com espiritualidade, acreditando na sua religião e na sua fé, não esconde e não oculta nenhum postulado de verdade.

Esta postura aumenta o seu potencial criativo, crescendo na sua ação positiva, iluminando consciências e ensinando o verdadeiro caminho espiritual a cada um que se aproximar e se preocupar em ouvir seus aconselhamentos.

A fé aumenta a confiança em Deus e abre novos pontos para que a criatura possa se auto iluminar e enxergar dentro de si mesmo. O lastro divino que seu espírito trabalhou por todo o curso evolutivo, desenvolvendo gradativamente seu dom, ou seus dons, num certo momento de sua evolução, com certeza se manifestará.

A manifestação do dom não decorre de um prêmio divino. O maior prêmio divino é o dom da vida imortal.

Os demais dons são conseguidos através do trabalho, armazenado em vidas sucessivas, numa área específica do conhecimento que mais cedo ou mais tarde se manifestará, sendo que em alguns casos, será auxiliado pela genética, numa combinação perfeita de pais ou avós, que atuam ou atuaram no mesmo seguimento.

Muito se fala sobre o privilégio divino da concessão do dom para determinados escolhidos de Deus.

O grande teólogo cristão Orígenes já dizia na sua doutrina dos três capítulos, esquecida e anematizada pela sua igreja em 553 D.C.: “A justiça divina não privilegia ninguém”.

Buscar o conhecimento faz com que a criatura reflita sobre suas bases recebidas de gerações passadas, dentro do mesmo seguimento familiar.

Muitos seres não questionam Deus, mas questionam as interpretações dadas pelos seres humanos à palavra de Deus, contida nos seus códigos e escritos, repassadas a toda humanidade por diversos seguimentos religiosos.

O homem jamais poderá se queixar que faltaram informações para suas elucidações espirituais. O que faltou, e ainda falta, são explicações claras e objetivas, sem compromissos com doutrinas pré- estabelecidas.

Os que procuram estas informações para seu desenvolvimento pessoal esbarram em ensinamentos semeados por interpretações, que no curso dos séculos serviram a interesses políticos e se desviaram do caminho.

O dever do movimento espiritualista é reunir suas sementes espalhadas e semear novamente em um novo campo para que elas possam germinar, criando novas florestas com novos frutos e um novo jardim do Éden.

No atual jardim, existem outras árvores com cascos grossos, já curvadas pelo tempo que mais cedo ou mais tarde a natureza se encarregará de cumprir a sua lei natural.

A nova luz sempre chega e chegará. Chegou para os Judeus no nascimento de Cristo, chegou para os Vedas com o nascimento de Buda e chegará para todas as nações atuais no momento certo, mas é necessário preparar o caminho, como disse João Batista com relação a Jesus.

A natureza e o conhecimento não dão saltos e muito menos o ensinamento divino.

Tudo tem seu tempo certo.

É preciso paciência, tolerância, perseverança, estudo, meditação, responsabilidade e muita fé em Deus.

Estas questões são importantíssimas para qualquer criatura que tenha um projeto, seja ele divino ou não, a ser implantado.

A ansiedade precisa ser controlada em qualquer caso. É preciso trabalhar com resignação, independente dos problemas colocados no caminho, com tempo, convicção, sem pressão e sem medo de errar.


A TOMADA DE CONSCIÊNCIA


A civilização humana está vivendo um momento muito delicado.

A evolução espiritual do planeta, devido ao sincretismo religioso, deixou de sentir e olhar os verdadeiros fundamentos que sustentam a fé, a religiosidade e a espiritualidade.

Devido às discordâncias filosóficas, por conta das teologias que dividem a visão divina do ensinamento e o nascimento do antagonismo teológico, colocando uma crença religiosa contra a outra, estabeleceu um conflito interpretativo na importância da fé, que não consegue se sustentar, em pontos comuns, que devem assentar o conhecimento, e fundamentar a verdade superior em alicerces básicos, que constituem os pontos de sustentação de toda ideia divina, seja esta, religiosa ou espiritualista.
Crer na verdade superior divina é manter a esperança no renascimento espiritual após a extinção da vida física e no renascimento do corpo espiritual para a vida eterna.

Embora as religiões mantenham seus cultos e suas pregações em atividades através de suas liturgias em seus templos, com seus sacerdotes e pastores, pregando a palavra de Deus, ainda existem milhões de pessoas afastadas da dimensão religiosa ou por desinteresse ou falta de motivação em querer sair de suas residências e do seu conforto nos finais de semana, ou em qualquer dia da semana, para manter sua mente ligada no ensinamento das coisas de Deus. A missão dos sacerdotes é de manter a força divina ativa dentro dos lares em todo planeta.

Manter o pensamento voltado para o entendimento e o amor divino é uma grande alavanca para que a vida possa caminhar em torno da realização não só material como espiritual de cada criatura.

Psicografado por Adilson T. de Godoy
Mentor: D.Adyan
Ordem Espiritual Crística
Filosofia Cósmica do Poder Divino Integralizado
www.cristiciismo.com.br
www.filosoficacristiciista.com.br


ÁUDIO:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu comentário.