terça-feira, 28 de março de 2017

ACREDITAR - Psicografia Cristiciísta

Psicografado por Adilson T. de Godoy
Mentor: D' Adyan
Ordem Espiritual Crística
Filosofia Cósmica do Poder Divino Integralizado
www.cristiciismo.com.br
www.filosoficacristiciista.com.br

As religiões existem porque a fé existe. Se não houvesse fé não haveria religião. Qualquer crença não pode prescindir da fé. A fé é a mola mestra. Sem ela não existiria nenhum culto religioso em nenhuma das religiões existentes no mundo.

A fé é a base e o alicerce. Tudo está na fé. A fé em Deus foi a grande força que fez com que os Hebreus se juntassem em uma só tribo e seguissem Moisés até o Monte Sinai, onde estava o sinal de Deus para a terra prometida.

Os textos bíblicos falam todo tempo sobre a fé. A fé, à frente, a credulidade, eis o ponto essencial em toda religião. “A fé remove montanhas”. Jesus Cristo pregou a fé em Deus, colocou seus discípulos sob o manto da fé e exerceu esta fé até o ultimo dia de sua vida.

Jesus alicerçou sua fé nas promessas de Deus, seu Pai e seu Criador. Alicerçou sua fé em uma obra criada por seu pai, que é a obra manifestada aos olhos dos homens, ou seja, o céu e a terra. Jesus sempre disse: “Meu Pai que me enviou é o criador de tudo, das águas e de todas as coisas. Vamos louva-lo e engrandecê-lo, pois, ele é o causador de tudo. ”

O segredo da vida está na fé em Deus. Ela conduz a vontade, e a luz, a crença. Uma das coisas mais importantes é acreditar. Jesus pregou a crença absoluta em Deus e constituiu uma Igreja pessoal em sua memória, para que esta fé, não fosse apagada de todos os seres. Ele lutou por esta causa, se sacrificou por ela e foi muito claro. Para ele, a fé seria a base de suporte para manter sua ideia ativa, e sua atitude seria importante para manter esta fé em Deus. Ele transmitiu o seu poder através dos seus postulados quando se referiu ao seu corpo e predisse: “Destruam este corpo e eu o levantarei em 3 dias”. Porque 3 dias?
 
Cristo sabia da importância das 3 forças para que pudesse energizar esta situação de morte física. Ele falou da tríade predizendo sua ressurreição. A força em Deus, seria ativada pela sua fé, que mesmo depois da morte, acendeu a luz da vida dentro daquele corpo ferido, machucado e torturado. Foram necessários 3 dias de repouso espiritual antes que ele acordasse.

Esta foi a ação do Pai celestial dentro dele mesmo, pois ele sempre dizia: “Eu e meu Pai somos um”, como ele proclamava sua própria divindade e a divindade tem a vida eterna, esta mesma divindade o despertou.   Jesus foi ressuscitado dos mortos por ele mesmo. O Deus Pai, ressuscitou o Deus filho, e o Espírito Santo o libertou do túmulo através da ação Angélica. Existe muita controvérsia histórica de como o corpo físico de Jesus conseguiu sair do tumulo.

Teria ele saído totalmente recuperado e usado uma força física descomunal para empurrar a pedra que selava o tumulo? Ou ele foi ajudado secretamente por amigos íntimos que durante a noite, enquanto os soldados dormiam, colocaram uma alavanca, abrindo uma pequena fresta entrando e levando o corpo para fora?

Na segunda opção, seriam necessários dois homens, um de cada lado, para que o Cristo, ainda machucado, pudesse caminhar e desaparecer, já que qualquer um que houvesse se recuperado da crucificação, seria novamente executado.

Outra versão diz que os anjos incumbidos da proteção de Jesus, entraram no corpo de dois soldados adormecidos, e agiram como se eles fossem médiuns inconscientes. Eles mesmos abriram o tumulo e novamente voltaram para o lugar que estavam e continuaram dormindo.

A partir do momento que o tumulo estava aberto, o próprio Jesus sem o auxílio de ninguém, não tendo ninguém como testemunha, saiu e desapareceu de cena. Só voltando depois de recuperado para dar testemunho da sua ressurreição.

Outra versão, é de que Jesus foi levado pelos dois homens que o tiraram com vida e o conduziram a lugar ignorado, mantendo-o longe de qualquer possibilidade de ser descoberto até o fim de sua vida.

Outra versão, é que Jesus projetou através da sua imensa força interior, o seu corpo astral, estando fisicamente em profunda meditação, atravessando parede e se apresentando aos apóstolos, utilizando o fluido magnético deles mesmos para materializar o seu corpo.

A última versão é a da igreja. De que Jesus ressuscitou, saiu do tumulo, atravessou paredes com seu corpo físico, transformado em corpo glorioso e subiu aos céus, com este corpo físico e com todos os órgãos funcionando normalmente como na matéria.

A grande questão racional, é como este corpo de carne e osso poderia penetrar nos campos vibracionais superiores, considerando que o fenômeno energético espiritual, se passa em outra dimensão?

Escolha você qualquer uma dessas opções. Para nós, pouco importa se Jesus ressuscitou ou não ressuscitou dos mortos, se subiu ou não subiu aos céus com seu corpo físico glorioso. Se amanhã algum arqueólogo descobrir o tumulo de Jesus, a nossa fé não será vã, como disse Paulo: “Se Jesus não ressuscitou então é vã a nossa fé”.

Nós acreditamos nos seus ensinamentos, na sua palavra e na sua doutrina para o aperfeiçoamento moral das criaturas. Não importa se Cristo ressuscitou com seus órgãos e membros intactos e subiu ao céu dessa forma ou se ele se transformou em corpo energético da mesma maneira como acontece com qualquer ser humano que desencarna, isso não tem o menor problema para nossa crença.

O milagre da ressurreição de Cristo foi o maior milagre de todos. Ele ressuscitou a si mesmo. Ele viveu de novo. Jesus manifestou a fé nele mesmo com muita convicção dizendo:

- “Aquele que crê em mim ainda que esteja morto viverá”. Ele foi o primeiro a crer nele mesmo.
- “Levantarei este templo em três dias”. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai o Pai senão por mim”. “Quem vê a mim, vê o Pai que em mim vive”.

Ele falava com muita autoridade e convicção, como um Deus vivo, e realmente, tinha um poder extraordinário. Se os Judeus não o aceitaram como o Messias, não verão outro com essa força espiritual, que cumpriu as profecias dos profetas bíblicos citados no antigo testamento e que convictamente declararam o Messianismo de Jesus, pelo menos três mil anos antes dele nascer.

Não sabemos claramente que tipo de Messias os Israelitas esperam até hoje. Na época de Jesus, muitos se apresentaram e não resolveram nada, ao contrário, provocaram a ira dos Romanos, que destruíram o templo de Jerusalém e se não fosse um rabino implorar de joelhos, o torá enrolado com cuidado e lido de uma forma sagrada, no templo, em ocasiões especiais, jamais seria encontrado pela arqueologia.

O soldado Romano olhou aquele documento, pensou e não se sabe porque deixou o Rabino levá-lo.

A convicção de Jesus era muito grande. Disse aos seus discípulos: “Se tiverdes a fé de um grão de mostarda dirá a aquele monte, mude de lugar, e ele mudará”.

Sua vida foi uma lição de fé. Nada se constrói sem fé, sem crença, sem idealismo e sem perseverança, para tanto é preciso organização, aplicação, planejamento e objetividade.

Nossa ordem prega a objetividade e a nossa fé é clara no poder do pensamento, no Deus interior, e no anjo dentro de cada um de vocês. Este anjo é o executor da vontade de cada um. Você caminha com Deus a todo minuto. Seu Deus é seu anjo que conhece toda sua vida e todas as suas inspirações. Você precisa despertá-lo e a vida se abrirá para você.
Nós pretendemos, através de nossas meditações, despertar essa força Angélica interior. Jesus disse: “Vós sois Deuses”. Ele só diria isto se tivesse plena convicção que o seu anjo fosse o seu Deus.

Ele dividiu a sabedoria e a imortalidade com você. Pense nisto. O nosso caminho religioso, é manter este Cristo interior em você, ativo e agindo em seu benefício para torná-lo realizador e criador
Todos vocês podem escrever seu livro divino, improvisar suas orações e exercer seus pensamentos energéticos. Façam isso. Tentem. Sejam médiuns de si mesmos, pois a força está em vocês.
Não desanimem enquanto não conseguirem. Estabeleçam etapas. Quando cumprir uma etapa vá para outra, por exemplo, se cada um de nossos colaboradores conseguirem dez interessados do seu relacionamento pessoal, nós estaremos ensinando nossa filosofia para muita gente em pouco tempo.

Entendemos que é difícil conseguir dez pessoas com tempo e interesse. Tentem durante um ano de prazo. Vá falando da Ordem Cristiciísta, divulgando pela internet e em outros meios de comunicação. Exponha em reunião suas ideias sobre como divulgar nosso trabalho. Acredite e dê o primeiro passo. A fé, o desejo, a vontade, são forças extraordinárias, que atuam decisivamente para consolidação de todas as ideias e todas as propostas de realização. Não tenha medo. Nós estamos no caminho certo. Nosso barco angélico conhece o porto e sabe o caminho da saída e da chegada. Temos um barco e tanto. Navegaremos pelos sete mares da criação, conheceremos os sete raios regenciais, os sete anjos da presença e os selos da sabedoria.

Vamos viajar com segurança pelas praias e pelos campos, seguidos do amor e do conhecimento.
Creia em você como fonte geradora de energia. Como centro irradiador de luz e de paz. Faça os exercícios essenciais da meditação. Pratique a meditação diária. Se habitue a orar antes de sair para trabalho para evitar acidentes que as vezes ocorrem por absoluta falta de atenção e concentração naquilo que você está fazendo.

Acreditar que nada poderá abate-lo ou destruí-lo é fundamental.
 
Lembre-se do salmo 89 e 90 do antigo testamento.


SALMO 89

1. Cantarei para sempre o amor do Senhor; com minha boca anunciarei a tua fidelidade por todas as gerações.
2. Sei que firme está o teu amor para sempre, e que firmaste nos céus a tua fidelidade.
3. Tu disseste: "Fiz aliança com o meu escolhido, jurei ao meu servo Davi:
4. Estabelecerei a tua linhagem para sempre e firmarei o teu trono por todas as gerações.
5. Os céus louvam as tuas maravilhas, Senhor, e a tua fidelidade na assembleia dos santos.
6. Pois quem nos céus poderá comparar-se ao Senhor? Quem entre os seres celestiais assemelha-se ao Senhor?
7. Na assembleia dos santos Deus é temível, mais do que todos os que o rodeiam.
8. Ó Senhor, Deus dos Exércitos, quem é semelhante a ti?
9. És poderoso, Senhor, envolto em tua fidelidade. Tu dominas o revolto mar; quando se agigantam as suas ondas, tu as acalmas.
10. Esmagaste e mataste o Monstro dos Mares; com teu braço forte dispersaste os teus inimigos.
11. Os céus são teus, e tua também é a terra; fundaste o mundo e tudo o que nele existe.
12. Tu criaste o Norte e o Sul; o Tabor e o Hermom cantam de alegria pelo teu nome.
13. O teu braço é poderoso; a tua mão é forte, exaltada é tua mão direita.
14. A retidão e a justiça são os alicerces do teu trono; o amor e a fidelidade vão à tua frente.
15. Como é feliz o povo que aprendeu a aclamar-te, Senhor, e que anda na luz da tua presença!
16. Sem cessar exultam no teu nome, e alegram-se na tua retidão,
17. Pois tu és a nossa glória e a nossa força, e pelo teu favor exaltas a nossa força.
18. Sim, Senhor, tu és o nosso escudo, ó Santo de Israel, tu és o nosso rei.
19. Numa visão falaste um dia, e aos teus fiéis disseste: "Cobri de forças um guerreiro, exaltei um homem escolhido dentre o povo.
20. Encontrei o meu servo Davi; ungi-o com o meu óleo sagrado.
21. A minha mão o susterá, e o meu braço o fará forte.
22. Nenhum inimigo o sujeitará a tributos; nenhum injusto o oprimirá.
23. Esmagarei diante dele os seus adversários e destruirei os seus inimigos.
24. A minha fidelidade e o meu amor o acompanharão, e pelo meu nome aumentará o seu poder.
25. A sua mão dominará até o mar; sua mão direita, até os rios.
26. Ele me dirá: 'Tu és o meu Pai, o meu Deus, a Rocha que me salva'.
27. Também o nomearei meu primogênito, o mais exaltado dos reis da terra.
28. Manterei o meu amor por ele para sempre, e a minha aliança com ele jamais se quebrará.
29. Firmarei a sua linhagem para sempre, e o seu trono durará enquanto existirem céus.
30. Se os seus filhos abandonarem a minha lei e não seguirem as minhas ordenanças,
31. Se violarem os meus decretos e deixarem de obedecer aos meus mandamentos,
32. Com a vara castigarei o seu pecado, e a sua iniquidade com açoites;
33. Mas não afastarei dele o meu amor; jamais desistirei da minha fidelidade.
34. Não violarei a minha aliança nem modificarei as promessas dos meus lábios.
35. De uma vez para sempre jurei pela minha santidade e não mentirei a Davi,
36. que a sua linhagem permanecerá para sempre, e o seu trono durará como o sol;
37. será estabelecido para sempre como a lua, a fiel testemunha no céu."
38. Mas tu o rejeitaste, recusaste-o e te enfureceste com o teu ungido.
39. Revogaste a aliança com o teu servo e desonraste a sua coroa, lançando-a ao chão.
40. Derrubaste todos os seus muros e reduziste a ruínas as suas fortalezas.
41. Todos os que passam o saqueiam; tornou-se objeto de zombaria para os seus vizinhos.
42. Tu exaltaste a mão direita dos seus adversários e encheste de alegria todos os seus inimigos.
43. Tiraste o fio da sua espada e não o apoiaste na batalha.
44. Deste fim ao seu esplendor e atiraste ao chão o seu trono.
45. Encurtaste os dias da sua juventude; com um manto de vergonha o cobriste.
46. Até quando, Senhor? Para sempre te esconderás? Até quando a tua ira queimará como fogo?
47. Lembra-te de como é passageira a minha vida. Terás criado em vão todos os homens?
48. Que homem pode viver e não ver a morte, ou livrar-se do poder da sepultura?
49. Ó Senhor, onde está o teu antigo amor, que com fidelidade juraste a Davi?
50. Lembra-te, Senhor, das afrontas que o teu servo tem sofrido, das zombarias que no íntimo tenho que suportar de todos os povos,
51. das zombarias dos teus inimigos, Senhor, com que afrontam a cada passo o teu ungido.
52. Bendito seja o Senhor para sempre!

Amém.

SALMO 90

  1. Senhor, tu és o nosso refúgio, sempre, de geração em geração.
  2. Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus.
  3. Fazes os homens voltarem ao pó, dizendo: "Retornem ao pó, seres humanos!"
  4. De fato, mil anos para ti são como o dia de ontem que passou, como as horas da noite.
  5. Como uma correnteza, tu arrastas os homens; são breves como o sono; são como a relva que brota ao amanhecer;
  6. germina e brota pela manhã, mas, à tarde, murcha e seca.
  7. Somos consumidos pela tua ira e aterrorizados pelo teu furor.
  8. Conheces as nossas iniquidades; não escapam os nossos pecados secretos à luz da tua presença.
  9. Todos os nossos dias passam debaixo do teu furor; vão-se como um murmúrio.
  10. Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos!
  11. Quem conhece o poder da tua ira? Pois o teu furor é tão grande como o temor que te é devido.
  12. Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria.
  13. Volta-te, Senhor! Até quando será assim? Tem compaixão dos teus servos!
  14. Satisfaze-nos pela manhã com o teu amor leal, e todos os nossos dias cantaremos felizes.
  15. Dá-nos alegria pelo tempo que nos afligiste, pelos anos em que tanto sofremos.
  16. Sejam manifestos os teus feitos aos teus servos, e aos filhos deles o teu esplendor!
  17. Esteja sobre nós a bondade do nosso Deus Soberano. Consolida, para nós, a obra de nossas mãos; consolida a obra de nossas mãos!



  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu comentário.